Skip to content

ADOPT-DTV

Segundo inquérito da Universidade Lusófona sobre TV digital
Quarta, 09 Março 2011 11:56

Três em cada quatro Portugueses desconhece o que deve fazer para ter televisão digital terrestre

A um ano para o desligamento do sinal analógico de televisão terrestre, 76,2% dos Portugueses não sabe o que têm de fazer para receber televisão digital terrestre, de acordo com uma estimativa de um novo estudo da Universidade Lusófona. Dos 1.198 inquiridos que afirmaram ter televisão em casa de uma amostra total de 1.207 indivíduos, 40,5% responderam não ter televisão paga em casa. De sublinhar que 84,1% destes inquiridos sem TV paga afirmaram desconhecer o que devem fazer para receber televisão digital terrestre, que vem substituir a televisão analógica terrestre, sendo que a primeira fase do desligamento do sinal analógico de TV decorre a 12 de Janeiro de 2012 e a terceira e última fase a 26 de Abril de 2012.

Download PDF - "ADOPT-DTV - Inquérito Quantitativo: resultados gerais do 2º inquérito"



CONHECIMENTO  DO QUE TEM DE FAZER PARA TER TDT EM CASA

No que respeita a compatibilidade da TV para receber o sinal digital terrestre, 55,8% dos inquiridos referiram não saber se o seu televisor é compatível, 30,1% responderam que tem uma TV compatível e 14,2% dos inquiridos afirmaram não ter uma TV capaz de receber TDT.

Quando questionados sobre procedimentos concretos para ter TDT em casa, como adaptar antena, ter uma caixa descodificadora ou comprar um novo televisor, a maioria dos indivíduos afirmaram desconhecer o que devem fazer:
- 58% dos indivíduos referem que não sabem se é necessário adaptar antena e 20,7% referem que é um procedimento necessário,
- 58,7% referem que não sabem se é necessário uma box ou caixa descodificadora e 32,9% respondem afirmativamente,
- 55,3% dos inquiridos referem que não sabem se é necessário comprar um televisor novo, enquanto que 19,2% responderam afirmativamente e 25,5% dos inquiridos responderam que não é necessário.



CONHECIMENTO  SOBRE TV DIGITAL E APAGÃO DA TV ANALÓGICA

Ainda, 11% dos inquiridos neste estudo responderam ter ouvido falar sobre o switchover digital. Porém, nem todos os que afirmam ter ouvido falar consideram saber o que é este processo: 84,1% dos que referem ter ouvido falar sobre o switchover afirmaram saber no que consiste o desligamento do sinal analógico terrestre de televisão. Em relação à Televisão Digital Terrestre (TDT), 46,1% dos inquiridos afirmaram já ter ouvido falar desta plataforma de distribuição de sinal de TV digital, sendo que desses 78%,1 afirmaram saber do que trata.

Por outro lado, 75,5% dos inquiridos já ouviram falar de TV digital, enquanto que em relação à HD-TV, 69,4% já ouviram falar desta tecnologia de transmissão de TV de alta qualidade. Sobre as boxes ou caixas descodificadoras, 61,8% afirmaram ter ouvido falar deste tipo de equipamento receptor de sinal de televisão.



EXPECTATIVAS E ASSOCIAÇÕES À TV DIGITAL

Sobre o tipo de associações feitas em relação à TV digital (P.18), 63% dos indivíduos associam TV digital a uma maior qualidade de som e imagem, 54% a um serviço de televisão de confiança, 47,7% associam a um serviço conveniente e 42,4% associam a facilidade de instalação e de uso. No que respeita o custo, 26,3% dos inquiridos associam TV digital a um serviço caro e 23,7% a um serviço acessível em termos de custo, sendo que 50% dos inquiridos afirmam não saber ou não têm opinião formada sobre este tópico.



INTERESSE NA TV DIGITAL


Sobre o interesse na TV digital pediu-se a todos os inquiridos que indicassem até que ponto estão interessados nesta tecnologia de transmissão de sinal de televisão, sendo que 0 significa “Nada interessado” e 10 significa “Muito interessado”. Deste modo,  dividindo a escala em dois pólos (positivo e negativo) temos 19,6% dos inquiridos  que indicam não ter interesse ou ter pouco interesse na TV digital (0 a 4 valores). Os moderadamente interessados (5 e 6 valores) representaram 26,3% da amostra, enquanto que 35,8% dos inquiridos manifestaram ter interesse ou muito interesse na TV digital (7 a 10 valores), com 18,2% dos inquiridos a optar por não responder.


MAIS SOBRE O PROJECTO ADOPT-DTV

Estes são os resultados gerais de um inquérito quantitativo aplicado a uma amostra representativa da população portuguesa em meados de Janeiro de 2011, na sequência de um inquérito mais abrangente realizado em Novembro de 2010, cujos primeiros resultados foram publicados no início deste ano. A amostra do presente inquérito aplicado em Janeiro de 2011 foi constituída por 1.207 indivíduos, com idades compreendidas entre os 18 e os 89 anos.

Este inquérito faz parte do projecto de investigação “ADOPT-DTV: Barreiras à adopção da televisão digital no contexto da transição da televisão analógica para o digital em Portugal” (PTDC/CCI-COM/102576/2008), que tem como principal objectivo compreender quais são os principais factores de adopção e rejeição de uso do serviço de televisão digital no contexto de transição da televisão analógica para a digital em Portugal, na perspectiva das principais partes interessadas. O projecto é coordenado pelo Centro de Investigação em Comunicação Aplicada, Cultura e Novas Tecnologias (CICANT) da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, em parceria com a ANACOM e o OBERCOM, sendo financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

Para além deste inquérito, o projecto ADOPT-DTV integra mais três estudos empíricos, a saber: estudo etnográfico junto de uma amostra de 30 famílias residentes nas zonas-piloto do switchoff; entrevistas com partes interessadas/ stakeholders no campo da TV digital; estudo de usabilidade, para proceder à análise comparativa da eficácia e satisfação dos principais sistemas de TV digital.

 

Conferência EUROITV

EUROITV

Promotores

ulht-logo
cicant-logo

Parceiros


Anacom

Obercom

Financiadores

FCT

Quem está on-line

Temos 37 visitantes em linha