Skip to content

ADOPT-DTV

Segundo inquérito da Universidade Lusófona sobre TV digital
Quarta, 09 Março 2011 11:56

Três em cada quatro Portugueses desconhece o que deve fazer para ter televisão digital terrestre

A um ano para o desligamento do sinal analógico de televisão terrestre, 76,2% dos Portugueses não sabe o que têm de fazer para receber televisão digital terrestre, de acordo com uma estimativa de um novo estudo da Universidade Lusófona. Dos 1.198 inquiridos que afirmaram ter televisão em casa de uma amostra total de 1.207 indivíduos, 40,5% responderam não ter televisão paga em casa. De sublinhar que 84,1% destes inquiridos sem TV paga afirmaram desconhecer o que devem fazer para receber televisão digital terrestre, que vem substituir a televisão analógica terrestre, sendo que a primeira fase do desligamento do sinal analógico de TV decorre a 12 de Janeiro de 2012 e a terceira e última fase a 26 de Abril de 2012.

Download PDF - "ADOPT-DTV - Inquérito Quantitativo: resultados gerais do 2º inquérito"



CONHECIMENTO  DO QUE TEM DE FAZER PARA TER TDT EM CASA

No que respeita a compatibilidade da TV para receber o sinal digital terrestre, 55,8% dos inquiridos referiram não saber se o seu televisor é compatível, 30,1% responderam que tem uma TV compatível e 14,2% dos inquiridos afirmaram não ter uma TV capaz de receber TDT.

Quando questionados sobre procedimentos concretos para ter TDT em casa, como adaptar antena, ter uma caixa descodificadora ou comprar um novo televisor, a maioria dos indivíduos afirmaram desconhecer o que devem fazer:
- 58% dos indivíduos referem que não sabem se é necessário adaptar antena e 20,7% referem que é um procedimento necessário,
- 58,7% referem que não sabem se é necessário uma box ou caixa descodificadora e 32,9% respondem afirmativamente,
- 55,3% dos inquiridos referem que não sabem se é necessário comprar um televisor novo, enquanto que 19,2% responderam afirmativamente e 25,5% dos inquiridos responderam que não é necessário.



CONHECIMENTO  SOBRE TV DIGITAL E APAGÃO DA TV ANALÓGICA

Ainda, 11% dos inquiridos neste estudo responderam ter ouvido falar sobre o switchover digital. Porém, nem todos os que afirmam ter ouvido falar consideram saber o que é este processo: 84,1% dos que referem ter ouvido falar sobre o switchover afirmaram saber no que consiste o desligamento do sinal analógico terrestre de televisão. Em relação à Televisão Digital Terrestre (TDT), 46,1% dos inquiridos afirmaram já ter ouvido falar desta plataforma de distribuição de sinal de TV digital, sendo que desses 78%,1 afirmaram saber do que trata.

Por outro lado, 75,5% dos inquiridos já ouviram falar de TV digital, enquanto que em relação à HD-TV, 69,4% já ouviram falar desta tecnologia de transmissão de TV de alta qualidade. Sobre as boxes ou caixas descodificadoras, 61,8% afirmaram ter ouvido falar deste tipo de equipamento receptor de sinal de televisão.



EXPECTATIVAS E ASSOCIAÇÕES À TV DIGITAL

Sobre o tipo de associações feitas em relação à TV digital (P.18), 63% dos indivíduos associam TV digital a uma maior qualidade de som e imagem, 54% a um serviço de televisão de confiança, 47,7% associam a um serviço conveniente e 42,4% associam a facilidade de instalação e de uso. No que respeita o custo, 26,3% dos inquiridos associam TV digital a um serviço caro e 23,7% a um serviço acessível em termos de custo, sendo que 50% dos inquiridos afirmam não saber ou não têm opinião formada sobre este tópico.



INTERESSE NA TV DIGITAL


Sobre o interesse na TV digital pediu-se a todos os inquiridos que indicassem até que ponto estão interessados nesta tecnologia de transmissão de sinal de televisão, sendo que 0 significa “Nada interessado” e 10 significa “Muito interessado”. Deste modo,  dividindo a escala em dois pólos (positivo e negativo) temos 19,6% dos inquiridos  que indicam não ter interesse ou ter pouco interesse na TV digital (0 a 4 valores). Os moderadamente interessados (5 e 6 valores) representaram 26,3% da amostra, enquanto que 35,8% dos inquiridos manifestaram ter interesse ou muito interesse na TV digital (7 a 10 valores), com 18,2% dos inquiridos a optar por não responder.


MAIS SOBRE O PROJECTO ADOPT-DTV

Estes são os resultados gerais de um inquérito quantitativo aplicado a uma amostra representativa da população portuguesa em meados de Janeiro de 2011, na sequência de um inquérito mais abrangente realizado em Novembro de 2010, cujos primeiros resultados foram publicados no início deste ano. A amostra do presente inquérito aplicado em Janeiro de 2011 foi constituída por 1.207 indivíduos, com idades compreendidas entre os 18 e os 89 anos.

Este inquérito faz parte do projecto de investigação “ADOPT-DTV: Barreiras à adopção da televisão digital no contexto da transição da televisão analógica para o digital em Portugal” (PTDC/CCI-COM/102576/2008), que tem como principal objectivo compreender quais são os principais factores de adopção e rejeição de uso do serviço de televisão digital no contexto de transição da televisão analógica para a digital em Portugal, na perspectiva das principais partes interessadas. O projecto é coordenado pelo Centro de Investigação em Comunicação Aplicada, Cultura e Novas Tecnologias (CICANT) da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, em parceria com a ANACOM e o OBERCOM, sendo financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

Para além deste inquérito, o projecto ADOPT-DTV integra mais três estudos empíricos, a saber: estudo etnográfico junto de uma amostra de 30 famílias residentes nas zonas-piloto do switchoff; entrevistas com partes interessadas/ stakeholders no campo da TV digital; estudo de usabilidade, para proceder à análise comparativa da eficácia e satisfação dos principais sistemas de TV digital.

 
Inquérito da Universidade Lusófona sobre TV digital
Quarta, 05 Janeiro 2011 10:27

92% dos Portugueses não sabe quando vai ser desligado o sinal analógico terrestre de TV, a um ano do fim da transmissão

Num inquérito da responsabilidade da Universidade Lusófona é estimado que cerca de 92% dos Portugueses com mais de 18 anos desconheça quando vai ser desligado o sinal analógico de televisão, a um ano do fim da transmissão da TV terrestre analógica nas regiões onde reside a maior parte da população Portuguesa – previsto para 12 de Janeiro de 2012. Assim, apenas 7,8% dos participantes identificaram correctamente 2012 como o ano do desligamento do sinal analógico de TV terrestre – processo também conhecido por switchoff . Por outro lado, 85,4% dos inquiridos afirmaram não saber quando tal vai acontecer, 6,1% indicaram o ano de 2011 como a data do desligamento e 0,7% apontaram o ano de 2013.

Estes são alguns dos primeiros resultados de um inquérito quantitativo aplicado a uma amostra representativa da população portuguesa em meados de Novembro de 2010, sendo esta amostra constituída por 1.205 indivíduos. O inquérito faz parte do projecto de investigação “ADOPT-DTV: Barreiras à adopção da televisão digital no contexto da transição da televisão analógica para o digital em Portugal” (PTDC/CCI-COM/102576/2008), que tem como principal objectivo compreender quais são os principais factores de adopção e rejeição de uso do serviço de televisão digital no contexto de transição da televisão analógica para a digital em Portugal, na perspectiva das principais partes interessadas. O projecto é coordenado pelo Centro de Investigação em Comunicação Aplicada, Cultura e Novas Tecnologias (CICANT) da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, em parceria com a ANACOM e o OBERCOM, sendo financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

Download PDF - "ADOPT-DTV - Inquérito quantitativo: primeiros resultados"



ATITUDES EM RELAÇÃO AO SWITCHOFF

Os custos associados à TV digital são a preocupação dominante manifestada pelos respondentes ao inquérito, com 60,6% dos inquiridos a concordar com a afirmação “A minha principal preocupação são os custos que vou ter com esta mudança”. Segue-se do conjunto de afirmações pré-definidas sobre o processo de switchoff, a preocupação com as questões práticas associadas à TV digital, como a cablagem a instalação do equipamento, com 49,8% de todos os inquiridos a manifestarem a sua preocupação quanto a este aspecto.

Destaque para os 53,7% de inquiridos que concordam a frase “Acho que este processo deveria ser mais demorado, dando mais oportunidade às pessoas para adquirirem mais informação” e ainda para os 48,3% que concordaram com a afirmação “Estou surpreendido – não sabia que o sinal analógico de TV ia ser desligado em breve”.



TIPO DE ACESSO A TV E INTERESSE NA TV DIGITAL

Dos 1198 inquiridos que afirmaram ter televisão em casa, 45,3% responderam não ter televisão paga em casa, o que corresponde 543 indivíduos da amostra. Destes últimos, 96,7% afirmaram ter TV analógica, enquanto que 1,8% dos inquiridos afirmaram receber o sinal de TV por uma parabólica e 1,1% afirmaram receber televisão digital terrestre, com 0,7% a optarem por não responder e 0,2% dos inquiridos a identificarem outro tipo de acesso.

Sobre o interesse na TV digital, pediu-se a todos os inquiridos que indicassem até que ponto estão interessados nesta tecnologia de transmissão de sinal de televisão, sendo que 0 significa “Nada interessado” e 10 significa “Muito interessado”. Deste modo, 8,6% dos inquiridos indicaram não ter interesse ou ter pouco interesse na TV digital (0 a 4 valores). Os moderadamente interessados (5 e 6 valores) representaram 26,7% da amostra, enquanto que 58,5% dos inquiridos manifestaram ter interesse ou muito interesse na TV digital (7 a 10 valores), com 6,2% dos inquiridos a optar por não responder.



INTENÇÃO DE AQUISIÇÃO OU SUBSCRIÇÃO DE TV DIGITAL

Aos 525 inquiridos sem TV paga e com recepção de TV analógica por antena tradicional perguntou-se se estavam a considerar comprar equipamentos ou subscrever um serviço para receber TV digital nos próximos 12 meses (P.28):
- 45,5% não sabem ou não respondem se têm intenção de adquirir equipamentos e/ou serviços de TV digital,
- 34,1% dos inquiridos afirmaram não ter intenção de adquirir nenhum dos principais equipamentos e/ou serviços de TV digital.
De notar que a data prevista para o desligamento total do sinal analógico é a 26 de Abril de 2012, na sequência da 1ª fase e 2ª fase do switchover, que decorrem respectivamente a 12 de Janeiro e a 22 de Março de 2012.

Ainda, 23,4% destes inquiridos afirmaram ter intenção de compra ou subscrição de equipamentos ou serviços para acesso a TV digital:
- 8% dos respondentes a optar pela compra de uma caixa descodificadora de TDT e 7,8% a optar pela aquisição de um televisor com TDT integrada;
- já em relação à subscrição de serviços de TV digital, 5,8% pensam optar pela subscrição de TV por cabo, 1,3% consideram a possibilidade de ter TV por fibra óptica,  0,4% ponderam a opção TV satélite e nenhum dos inquiridos identificou a opção “IPTV-ADSL”.



ADOPÇÃO DE TELEVISÃO DIGITAL TERRESTRE (TDT)


Dos inquiridos sem TV paga e com recepção de TV analógica via antena, 53,1% não sabem ou não respondem quando pensam comprar um televisor ou caixa descodificadora de TDT, enquanto que 30,5% destes inquiridos afirmaram que o fariam só quando for obrigatório. Ainda, 12,4% destes inquiridos afirmaram que nunca irão comprar um televisor ou caixa descodificadora de TDT.

Quanto ao principal motivo para ter TDT, 36,5% dos inquiridos sem TV paga e que recebem TV analógica por uma antena tradicional não sabem ou não respondem a esta questão. Das opções identificadas no inquérito, 25,7% dos inquiridos apontaram o corte do sinal analógico como principal motivo para ter TDT. A qualidade de imagem e som foi apontada como principal motivo por 13,7% destes inquiridos e 1,9% identificaram o acesso gratuito a TV de alta definição. A sublinhar que 23,6% destes inquiridos afirmaram não encontrar nenhum motivo para ter TDT.



ATITUDES DOS INQUIRIDOS SEM MOTIVO PARA TER TDT/ TV DIGITAL

Aos 124 inquiridos que responderam não ter motivo para ter TDT – o que representa 10,3% da amostra total deste estudo – pediu-se que manifestassem o seu nível de concordância com um conjunto de afirmações que visavam compreender melhor o porquê da sua aparente rejeição de adopção da TDT e TV digital.

Assim, a questão dos custos foi a mais apontada, com 77,9% destes participantes a concordarem com a afirmação “Quero continuar a ter TV mas é uma questão de custos”. A dificuldade em saber o que fazer para ter TDT é identificada em segundo lugar, com 62,1% destes inquiridos a concordar com a afirmação “Não sei como ter TV digital em casa: é tudo muito complicado”.

De notar que há uma percentagem significativa destes inquiridos que manifestaram rejeitar a mudança para a TV digital:
- 46,8% dos inquiridos que responderam não ter motivo para ter TDT concordaram com a afirmação “Não quero TV digital em minha casa” (58 indivíduos = 4,8% da amostra total);
- 40,2% dos inquiridos que responderam não ter motivo para ter TDT concordaram com a afirmação  “A televisão não é importante para mim e não vou ter o trabalho de fazer a mudança para a TV digital” (50 participantes no estudo = 4,1% da amostra total).



ASSUNTOS PARA CAMPANHA DE INFORMAÇÃO SOBRE TDT

Quanto ao tipo de assuntos que os inquiridos consideram importantes obter esclarecimento numa campanha de informação sobre a TDT, em primeiro lugar surge “tarifários e custos associados”, com 46,7% dos participantes no estudo a seleccionarem esta opção. Segue-se a opção “O que é a TV digital e a Televisão Digital Terrestre”, com 45,6% dos inquiridos a identificarem estes tópicos como importantes. Como realizar a conversão dos equipamentos foi apontada por 31,3% dos respondentes, enquanto que 31,1% identificaram como usar a TV digital como um tópico importante a ser respondido numa campanha de informação.



MAIS SOBRE O PROJECTO ADOPT-DTV

Para além deste inquérito, o projecto ADOPT-DTV integra mais três estudos empíricos, a saber:
- estudo etnográfico junto de uma amostra de 30 famílias residentes nas zonas-piloto do switchoff;
- entrevistas com partes interessadas/ stakeholders no campo da TV digital;
- estudo de usabilidade, para proceder à análise comparativa da eficácia e satisfação dos principais sistemas de TV digital.

Ao longo de 2011, a equipa de investigação do projecto ADOPT-DTV vai proceder a uma análise mais detalhada dos dados apurados através deste inquérito – porém, entendeu-se ser importante divulgar de imediato estes primeiros resultados, tendo em consideração o seu potencial contributo para o processo de switchover em Portugal.



DADOS METODOLÓGICOS

Universo
: O Universo é constituído por indivíduos com 18 e mais anos, residentes em Portugal Continental.

Amostra
: A amostra é constituída por 1.205 indivíduos.
Os respondentes foram seleccionados através do método de quotas, com base numa matriz que cruzou as variáveis Sexo, Idade, Instrução (homens), Ocupação (mulheres), Região e Habitat/Dimensão dos agregados populacionais.
A informação foi recolhida através de entrevista directa e pessoal, em total privacidade.
Os trabalhos de campo decorreram entre os dias 12 e 23 de Novembro de 2010, e foram realizados por 68 entrevistadores, recrutados e treinados pela GfK. A recolha incidiu nos dias úteis entre as 18H e as 22H e nos fins-de-semana durante todo o dia.


 
Relatório - A Transição para a Televisão Digital Terrestre na Europa
Sexta, 07 Janeiro 2011 10:24

"A Transição para a Televisão Digital Terrestre na Europa"

O presente relatório visa dar conta do panorama europeu da TDT, por via a compreender tanto as histórias de sucesso, como os principais obstáculos encontrados em outros países, fornecendo assim um enquadramento do que poderá acontecer em Portugal, do que deverá ser incentivado e dos contextos a evitar.

View more documents from cquico.
Presentation1


Para tal, será inicialmente descrito o actual sistema de televisão na Europa, seguindo‐se uma análise das experiências pioneiras de TDT; de seguida, serão apresentados casos de sucesso desta plataforma televisiva, e examinados os modelos de negócio na base destes processos. Por fim, será abordado o desenrolar do desligamento das emissões analógicas na Europa, destacando‐se os principais obstáculos encontrados e evidenciando‐se as medidas mais proeminentes de promoção da TDT pelas entidades competentes.

Autoria: Vera Araújo (Obercom)

 

Download PDF: http://www.slideshare.net/cquico/adopt-dtv-digitalswitchovereurope


 
Adopt DTV nos Media
Terça, 04 Janeiro 2011 00:00

Adopt DTV nos Media: inquérito quantitativo - primeiros resultados


Expresso Online
(4 Janeiro 2011)
n_logo
Portugueses desconhecem fim do sinal analógico de televisão
"Um estudo da Universidade Lusófona mostra que nove em cada dez portugueses desconhece que o sinal analógico de televisão será desligado em 2012."
URL: http://aeiou.expresso.pt/portugueses-desconhecem-fim-do-sinal-analogico-de-televisao=f624046


TVI 24
(4 Janeiro 2011)
images
TV: grande maioria ignora data em que sinal analógico vai acabar

"Estudo mostra que nove em cada dez portugueses não fazem a mínima ideia de que sinal digital chega a todos já daqui a um ano"
URL: http://www.tvi24.iol.pt/media-e-comunicacoes/tv-tdt-televisao-sinal-analogico-televisao-digital-agencia-financeira/1223379-5239.html


OJE
(5 Janeiro 2011)
2009-11-30_182441_e359ccb1-137b-49f4-93b8-84e3da8b10fdEAC3638D-92E2-48EB-B88F-01A1F13BBA925167A1F0-5D01-481B-923D-F5AFC1FC83C1Logotipopt1
TV analógica termina em Abril de 2012
"A Autoridade das Comunicações  anunciou ontem que o sinal analógico de televisão começará a ser desligado no dia 12 de Janeiro do próximo ano, sendo completamente substituído pelo sinal digital a 26 de Abril de 2012."
URL: http://www.oje.pt/noticias/nacional/tv-analogica-termina-em-abril-de-2012


Açoreano Oriental (4 Janeiro 2011)
Nove em cada dez portugueses ignoram data do fim da transmissão analógica
"Nove em cada dez portugueses desconhecem quando vai ser desligado o sinal analógico de televisão, previsto para 07 de janeiro de 2012, e que passará a ser transmitido em sinal digital."
URL: http://www.acorianooriental.pt/noticias/view/212315


TV digital em Portugal - blog de Sérgio Denocoli (4 de Janeiro 2011)
Nove em cada 10 portugueses ignoram data do switch-off analógico

"Um inquérito feito pela Universidade Lusófona revela que a grande maioria dos portugueses ignora que em 2012 o sinal analógico da televisão será desligado."
URL: http://tvdigital.wordpress.com/2011/01/04/nove-em-cada-10-portugueses-ignoram-data-do-switch-off-analogico/


TV digital em Portugal - blog de Sérgio Denocoli (5 de Janeiro de 2011)
Um importante projecto da Universidade Lusófona
"(...) É uma excelente e importante iniciativa da Lusófona, que deita luz sobre o processo de implementação da TV digital terrestre portuguesa, cumprindo de forma exemplar o papel que cabe à academia, em relação a um tema cujas consequências não são apenas tecnológicas e económicas, mas também sociais."
URL: http://tvdigital.wordpress.com/2011/01/05/um-importante-projecto-da-universidade-lusofona/

TDT em Portugal - blog (7 de Janeiro de 2011)
TDT é recebida por menos de 2% dos portugueses!

"Dados agora divulgados e que resultam de um inquérito da responsabilidade da Universidade Lusófona realizado em Novembro de 2010, confirmam o estado de impasse da televisão digital terrestre portuguesa."
URL: http://tdt-portugal.blogspot.com/2011/01/tdt-portuguesa-adesao-desligamento.html

 
Mais artigos...
<< Início < Anterior 1 2 3 Seguinte > Final >>

Pág. 2 de 3

Conferência EUROITV

EUROITV

Promotores

ulht-logo
cicant-logo

Parceiros


Anacom

Obercom

Financiadores

FCT

Quem está on-line

Temos 41 visitantes em linha